sexta-feira, 9 de junho de 2017

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Fera Ferida


Andar sem rumo e só
Correr pensamentos sem dó
Abraçar o mundo e nada
Cantar ao vento e chuva
Viver fechado no poema
Desatar nós dos enganos
Eu e meus meteoros
Sou, somos, ainda poeira
O tempo...
o verso,
poesia,
vida...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Meia Taça












Já passa da meia noite
Já passa da meia vida
A meia taça de vinho ficou
Lembranças do amor vem
Nada tão real nessa tela
A minha solidão é um paredão

Não é fácil assumir a idade
Não é fácil assumir o que fiz
Não é fácil assumir o que faria
Não é fácil assumir e sumir

Nada foi fácil com meia taça
Meia ideia... meia música.
Meia escada foi o meu andar
Dezessete andares até você
Pois bem... sigo meio ao vento
Preso uma meia algema
Preso a uma meia dissolução

Já passa da meia palavra
Já passa da meia idade
Já passa da meia taça
Já passa do meio amor

Não é fácil assumir a idade
Não é fácil assumir o que fiz
Não é fácil assumir o que faria
Não é fácil assumir e sumir

Foto Rubens Medeiros - Fazenda Mucambo 2015

sábado, 5 de novembro de 2016

Universo da Poesia










A poesia é um universo real
Na poesia, há caminhos livres
Na poesia, há linhas de carinho
Na poesia, há doçura e amor

Fora da poesia, desordem surreal
Uma matrix epilética
Fora da poesia, o caos
Sem poesia tudo é vazio

A poesia, conquista sorrisos
Nela os olhos brilham
A mente viaja
O coração acalma

Fora da poesia, vida obscura
Nada floresce, nada a contemplar
Fora da poesia, tudo é triste
Nada fala, nada a comemorar

A vida com poesia é felicidade
A poesia não espera, ela completa
Ela não dá esperança, ela acontece
A poesia é um universo do amor
é real!

domingo, 28 de agosto de 2016

Ingri_me















Sentir sua presença... afago
Olhar nos seus olhos... luz
Ouvir sua voz... música
Beijar a face ... ardor

Tão perto, mesmo longe
Tão baixo e alto
Pensamento febril
Escritos na mão

Te alcanço na poesia
Nada foge ao meu olhar
Emoção no compasso da voz
Te escrevo nesses versos

Te vejo azul
Me queimo amarelo
Vestimos verde
Juntos somos Luz

Andamos transparentes
Mudamos com o tempo
Nossos olhos se falam
Ingri_me por partes

Saltamos no ritimo das palavras,
nas páginas fez-se poesia
deixar alegria, amizade,
chegar ao amor!

Desenho de Rubens Medeiros na foto de Ingrid.